NOVAS CENTRALIDADES E INTERIORIZAÇÕES NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: UMA ANÁLISE PROSPECTIVA PARA O ESTADO DO PARÁ

Ana Carolina da Cruz Lima, Pedro Vasconcelos Maia do Amaral, Rodrigo Simões (In Memoriam)

Resumo


A análise da distribuição espacial das atividades produtivas no Brasil pós-1990 evidencia a intensificação de seu processo de interiorização em direção a áreas mais isoladas do território, inclusive em sua região amazônica. Uma particularidade deste processo é o papel estratégico desempenhado pelas cidades médias, que funcionam como polos de atração socioeconômica. Nessa perspectiva, o artigo analisa as tendências da rede urbana amazônica brasileira, identificando os padrões de centralidade e interiorização no estado do Pará, principal região de influência da “Amazônia sem mata”, no período 2010/2020. Para a sua consecução, são utilizados métodos de análise multivariada e dados relacionados às Regiões de Influência das Cidades, definidas pelo IBGE, para estimar o modelo CENTRALINA. Os resultados demonstram que a rede urbana estadual é polarizada e não há perspectivas de alterações significativas nesse cenário (rigidez da rede urbana).

Palavras-chave


Rede urbana; Amazônia; Modelo Centralina

Texto completo: PDF

RDE – Revista de Desenvolvimento Econômico. ISSN eletrônico 2178-8022 (números publicados a partir de 2010)
ISSN impresso 1516-1684