A CONTRIBUIÇÃO DO CONHECIMENTO NO ESPAÇO DAS PROPRIEDADES RURAIS

Erlaine Binotto, Marina Keiko Nakayama, Elisabete Stradiotto Siqueira, Eduardo Luis Casarotto

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar as condições capacitadoras do processo de criação de conhecimento organizacional, conforme apresentado por Nonaka e Takeuchi (1997). Trata-se de uma pesquisa descritiva de caráter qualitativo. Foi realizado um estudo de dois casos, utilizando-se de documentação e observação in loco, questionário, entrevista e focus group. As realidades estudadas localizam-se no Rio Grande do Sul, Brasil, e em Queensland, na Austrália. As categorias de análise utilizadas são as presentes no modelo de Nonaka e Takeuchi (1997). Os dados indicam que o volume de informações não é determinante da criação de conhecimento. A informação necessita ser reconhecida como importante pelo produtor rural para que possa ser transformada em conhecimento. Assim, considera-se que a propriedade, por si só, não cria conhecimentos; ela necessita de pessoas engajadas nas atividades, instigadas a buscar inovações e com um objetivo definido. Um aspecto que ficou bastante evidente, no Brasil, foi a forte ligação que a cooperativa possui com seus associados e a responsabilidade que assume como espaço para a criação de conhecimentos. Por outro lado, os australianos procuram encontrar meios para esse se concretizar, seja em pequenos grupos ou na relação direta com os técnicos.

Palavras-chave


Conhecimento organizacional; criação de conhecimento; propriedade rural; cooperativa.

Texto completo: PDF

Gestão & Planejamento. ISSN eletrônico (on-line/e-line) 2178-8030
ISSN impresso 1516-9103