DESAFIOS GERENCIAIS DE ORGANIZAÇÕES DO TERCEIRO SETOR DE BELO HORIZONTE: TÉCNICOS, POLÍTICOS, CRÍTICOS E PRAXEOLÓGICOS

Alexandra Carla Soares, Marlene Catarina Melo

Resumo


Resumo

Este artigo objetiva identificar e analisar, na percepção dos seus gerentes, os desafios gerenciais de organizações do Terceiro Setor de Belo Horizonte, nas perspectivas técnica, política, crítica e praxeológica, segundo o modelo de análise de gestão proposto por Reed (1997). Foi realizada uma pesquisa qualitativa, com a utilização da entrevista estruturada como método de coleta de dados. O recorte adotado privilegiou o campo da gestão que emerge como um dos maiores desafios vivenciados pelas organizações do Terceiro Setor. A amostra foi composta de 20 gerentes, sendo 12 mulheres e 08 homens, com no mínimo 03 anos de trabalho efetivo no cargo gerencial das diversas áreas de atuação de organizações do Terceiro Setor. Os desafios enfrentados por essas organizações, na percepção dos gerentes entrevistados, predominam na perspectiva técnica (REED, 1997), com a captação e manutenção de recursos financeiros e humanos. Enquadra-se, na análise da perspectiva política a gestão de parcerias. O gerenciamento de voluntários representa a perspectiva crítica. Por compreender que a perspectiva praxeológica, proposta por Reed (1997) integra os níveis de análise organizacional (técnica), institucional (política), e comportamental (crítica), constata-se que o desafio vencer desafios diariamente aponta para uma concepção mais realista, flexível e integrada da realidade do Terceiro Setor.

Palavras-chave: Gerência, gerente, desafios e terceiro setor.

Palavras-chave


Gestão; Estudos Organizacionais

Texto completo: PDF

Gestão & Planejamento. ISSN eletrônico (on-line/e-line) 2178-8030
ISSN impresso 1516-9103